Reality show

BBB é o assunto da vez, e então, vamos começar por uma questão aparentemente óbvia, mas nem tanto… O que motiva as pessoas a participarem desses programas? Bem, inicialmente, o prêmio seria o principal motivador para a exposição em programa de reality show, entretanto, foi percebido que, existem outros ganhos com a exposição do comportamento humano, mesmo quando essa exposição ganha um cunho negativo. Estar ali, confinado e sendo vigiado 24 horas por dia revela muito de quem se é e, não há como esconder nossas sombras, nossas feridas. Porém, ainda assim, o ganho secundário (que nesse caso é também primário) dessa exposição são as parcerias, as relações de trabalho e até a própria fama que, quando bem utilizada gira a seu favor, afinal, “tá na chuva é pra se molhar”!

Mas, e quando voltamos o questionamento para o outro lado? Quando nos perguntamos por que esses programas possuem tanta audiência? Pois é!! Esse interesse também não é recente. A vida alheia atrai a atenção das pessoas desde sempre e, nesse caso específico, confere ao telespectador a possibilidade de julgar sem ser julgado (pelo menos é o que se espera), de certa forma, confere poder à população, além disso, acaba promovendo também um mecanismo de esquecer de si, esquecer os problemas que se vive no cotidiano para olhar para a vida do outro, de certa forma é um mecanismo de defesa clássico de todos os seres humanos: A FUGA!

Não podemos chamar esse comportamento da população de Voyerismo porque não há uma conotação sexual no programa em si, mas, de certa forma há uma identificação com alguém que está no programa e torcer por esta pessoa e querer ver como essa pessoa se comporta durante o dia todo pode ser caracterizada uma obsessão em muitos casos. Porém, o que se torna mais evidente é a possibilidade do julgamento pelo voto popular, suas atitudes e sua forma de ver o mundo está sendo diretamente julgada. A questão é: Você, suportaria ser julgado? Suportaria um possível cancelamento?

Gostaria inclusive de pensar que esse julgamento é “correto” ou que a grande maioria da população possui “bom senso” nesse julgamento, porém, só o fato de haver um julgamento, não podemos chamar de bom senso. Mas, levando-se em consideração os programas anteriores e, sem querer entrar em qualquer tipo de mérito partidário, acredito que a população ainda precisa aprender e muito a julgar o outro, muitas vezes esse julgamento se dá pela aparência ou por questões culturais, e não baseado no comportamento do sujeito para o coletivo ou ainda, pela simpatia que o indivíduo exerce dentro da casa, ainda assim, por ser um programa de grande amplitude, tem seu valor, ensina a quem quer e está disposto a aprender como também condena e cancela aqueles se mostram inadequados no convívio popular. Então, dentro ou fora do BBB o que precisamos é aprender! (Até que rimou)!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Agendamento Online!